Buscar

Matutando Sonho: trajetória contada em minidocumentário


Foto: Robson Américo

Dia 04 de dezembro estreou o minidocumentário Matutando Sonho que propõe um mergulho do cantor e compositor mineiro Pedro Cezar em sua obra autoral, a partir de uma pesquisa realizada por meio de edital da Lei Aldir Blanc - Lei de Emergência Cultural em Minas Gerais. O trabalho, desenvolvido em parceria com o selo Yes, Tupi, traz imagens que vão desde a infância do músico aos dias atuais, e convida o espectador para uma imersão em seu processo criativo.


Com direção e roteiro de Thabata Arruda e edição e finalização de Gledson Lima, o material também traz depoimentos, vídeos, fotos, e memórias das primeiras experiências de Pedro na música, na segunda metade dos anos 90, como é o caso das cenas dos primeiros ensaios e apresentações da banda K2, na qual é fundador, guitarrista e vocalista.


O músico ressalta que a paralisação das atividades presenciais em 2020 e 2021 obrigou os artistas a se adaptarem. “O momento da pandemia trouxe grandes desafios para nós da classe artística, e um deles foi o de manter a produção ativa em meio a um cenário tão complexo. Mas, ironicamente, no meu caso, essa pausa no fluxo de shows e outras atividades presenciais propiciou tempo para tirar projetos do papel. Daí a importância dos editais emergenciais de cultura que estão nos ajudando a atravessar esse difícil período”, conta.


Para Thabata Arruda, responsável pelo roteiro do minidocumentário, a questão central foi como contar a história do artista a partir de outro olhar. “É uma responsabilidade. No caso do Matutando Sonho, teve também o contexto da pandemia, que limitou algumas possibilidades, entretanto, nos forçou a buscar saídas criativas e funcionais ao longo do processo. Desde o início, a ideia do roteiro foi, tanto de remontar a trajetória musical do artista Pedro Cezar, quanto tornar acessível a quem assiste o universo criativo e de referências de um compositor com 20 anos de carreira e muitas canções. Graças a confiança e generosidade que o Pedro depositou em todo processo, e a soma de três cabeças pensantes, acredito que conseguimos documentar uma história que irá inspirar a caminhada de outros compositores e compositoras."


Vale frisar que o minidocumentário é parte de um projeto ainda maior, também independente, que prevê o lançamento de um álbum inédito no primeiro trimestre de 2022. Em estúdio, Pedro conta com a participação dos músicos Rafael Moreira e Michel Nascimento que gravaram baixo e bateria, respectivamente, nos três primeiros singles - Alma Boa, Mais uma volta no Sol e Raio de Luz.